seg
16 out
2017

Trilha no Parque Huascarán: queda de gelo do Huandoy

Postado por Alan Towersey - 0 Comentários

Para quem já está aclimatado e tem alguns dias para curtir as trilhas no Parque Huascarán, a trilha subindo até a queda de gelo do Huandoy é uma boa pedida para melhorar aclimatação e se preparar para a trilha da Laguna 69, que é a must see da região.

 

Antes de mais nada, não deixe de nos seguir no Instagram @guiamundoafora
Você também pode procurar pela Tag #GMAnoPeru 

 

Logo que cheguei no meu hotel Llanganuco Lodge vindo de Lima, umas 9 da manhã, fui recebido com um generoso café da manhã e fui conversar com o Charlie – dono do Local e “concierge” das trilhas da região. Ele me explicou as diferentes alternativas que tinha para minha aclimatação e minha primeira trilha no Parque Huascarán foi justamente a Queda de Gelo do Huandoy ou Ice of Huandoy.

 

Para cada uma das trilhas o hotel oferece um folheto com as instruções (em inglês) de como se localizar em cada etapa, o que possibilita fazer tudo sem guia. Esses folhetos são utilizados por todos que ficam no Llanganuco Lodge e sempre que alguém fica com alguma dúvida sobre as explicações, eles vão melhorando o texto, então já foram bastante testados e experimentados. Antes de partir o Charlie também me entregou o meu lanche/almoço de trekking.

 

Snack de trekking Llanganuco Lodges

Snack generoso para uma só pessoa!

 

Hora de se arrumar e preparar a mochila!

Nem havaianas, nem botas de alta montanha, o ideal é algo entre um tênis mais robusto para trekking e uma bota leve, preferencialmente impermeável, especialmente na estação chuvosa.

Calça leve e uma malha não pesada de manga comprida – tipo fleece, são essenciais, mais um corta vento – preferencialmente impermeável. Assim você estará pronto para um dia com mais vento ou um pouco mais frio, sem carregar coisas desnecessárias.

Uma mochila de 30/35 litros será ideal – eu me expremi em uma de 10 litros (leia aqui sobre itens de treking para iniciantes) e fui cheio de penduricalhos por não caber tudo na mochila. Além do lanche é importante levar filtro solar, boné/chapéu, repelente (sério esse!), óculos escuro, pelo menos 10 soles (moeda do Perú) para cada pessoa, sua câmera para fotos sensacionais e papel higiênico para as emergências.

 

>>Leia sobre: Câmbio no Peru com valores atuais

 

 

O INÍCIO DA AVENTURA

Mesmo de posse de meu folheto de instruções o Charlie me acompanhou nos primeiros metros da trilha no parque Huascarán, onde me mostrou as ruínas próximas ao Lago Keushu, que já é a primeira atração da caminhada. O Lago tem a tonalidade verde leitosa típica de águas que vem de glaciais. Uma das caminhadas mais curtas para quem não está aclimatado é uma volta de 45 minutos ao redor do Lago – não era o meu caso então bola pra cima do Huandoy!

 

Lembrando que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados no blog, ganhamos uma pequena comissão, E VOCÊ NÃO PAGA MAIS POR ISSO, mas super me ajuda a continuar postando conteúdo GRÁTIS!

 

Em volta do lago dá para ver as ruínas ao largo do Lago Keushu (3500 aC) são de civilização pré-Inca que lá se estabeleceu. Uma peculiaridade é a existência de uma área de necrópolis das ruínas onde é possível até ver restos de crânios humanos no fundo de uns buracos cavados como tumbas.

 

O gelo de Huandoy é o mais baixo na Cordilheira Blanca. Era comum a ida de locais de Yungay subirem até a queda de gelo para buscar gelo para fazer raspadinhas de gelo na cidade. Consequentemente é a maneira mais facil de subir apé e contemplar o gelo e o lago que se forma na sua base e as belíssimas montanhas de onde desce o gelo.

 

Trilha no parque Huascarán

 

Seguindo a trilha no parque Huascarán, depois de andar subindo alguns minutos passando a beira de uma canaleta de agua se chega a um ponto onde se atravessa o corrego e há um muro de pedra e um portão. Nesse ponto, se houver alguém da comunidade, tem que pagar 10 Soles para seguir (pegar recibo – senão o cara embolsa em vez da grana ir pra comunidade).

 

O esperto aqui chegou na correria e não leu o folheto todo antes de seguir – cheguei no portão sem 1 sol no bolso, mas tinha uma nota de R$10 na mochila e o cara acertou meu argumento de que o real estava um para um com o sol e aceitou meus 10 reais (Tentei e colou!). Não recomendo chegar lá sem os 10 Soles, porque vai que você pega um local mais mal humorado!

 

Trilha no parque Huascarán

 

Seguindo a trilha no parque Huascarán morro acima, fui apresentado às minhas companheiras de trilha dalí em diante: as moscas 🙁 Por conta dos excrementos das mulas que carregam o gelo que os locais coletam na queda de gelo, as moscas se proliferam e saem nos dias mais quentes. Se você der esse azar de ser um desses dias quentes, vai sentir bastante falta do repelente que eu sugeri mais cedo. O repelente (ao menos o Off) diminui a voracidade das moscas em te encher a paciência, mas não afasta e elas de vez. A notícia boa é que elas dificilmente picam.

 

CHEGADA NA QUEDA DE GELO!

O caminho para cima do vale tem uma multiplicidade de trilhas, umas mais diretas e outras mais suaves, todas chegam na queda de gelo. Chegando no topo da subida (4.030m de altitude), saí em uma pequena crista, de onde dá para ver os detritos de gelo de Huandoy. Quando fui tinha um laguinho com um pouco de gelo flutuando nele.

Dependendo de quão recentemente o gelo caiu, pode estar branco, ou seja, o gelo caiu recentemente. Ou pode estar coberto por uma camada de poeira de granito, tornando-o cinzento e não tão facil de distinguir – foi como estava dessa vez.

 

 

Não vá propriamente até aqueda de gelo! Os locais fazem isso para buscar o gelo, e de tempos em tempos há fatalidades por conta de quedas súbitas de gelo da geleira acima. Aproveitei para achar um canto com menos moscas e comer o meu almoço. Não havia um lugar protegido do sol então é interessante, mesmo com protetor, levar um bom chapéu ou boné.

 

Se está em boa forma física e tem alguma experiencia com montanha é possível seguir até mais próximo da geleira (4.800m), mas isso não é recomendado sem um guia, como era o meu caso – então hora de voltar pro Lodge!

 

A volta não tem novidades em relação a ida exceto pelo visual que é diferente, em especial a vista do Lago Keuchu, que comentei lá em cima:

 

Após 4 horas de trilha no parque Huascarán, estava de volta no Lodge. É bom considerar 5 horas para o passeio, já que tive que acelerar um pouco porque comecei mais tarde e não queria passar sufoco voltando no escuro. Seja em que ritmo for, é uma caminhada relativamente tranquila para quem está um pouco aclimatado e o visual faz valer a pena separar um dia da viagem para ela.

 

DESCONTO PARA VOCÊ NO LODGE

Se você também amou esse passeio, não deixe de se hospedar no Llanganuco Lodges que fica pertinho! Consegui um desconto de 15% na hospedagem por ser meu leitor colocando o código THAISBRA, se fizerem a reserva direto pelo site deles aqui. Vocês vão amar! ❤️

 

 

Gelo de Huandoy

Vista da descida da trilha

 

FICHA TÉCNICA DO PASSEIO*:

  • Hotel: Llanganuco Lodge
  • Horários: 6:00 às 15:00
  • Refeições: Snack no trekking
  • Transporte: Saída a pé direto do Hotel ou Taxi de Yungay (80 soles)
  • Entradas: 10 Soles
  • Temperatura média: 15 a 20 graus.
  • Roupa: Sapato de trekking, casaco leve e corta vento.

 

Recomendo muito essa trilha no parque Huascarán para todos que vão passar 4 ou 5 dias fazendo trekking na Cordilheira Blanca!

 

LEIA MAIS

 

 

*Agradecemos ao Llanganuco Lodge pela incrível hospedagem e informações da trilha. As opiniões aqui expostas são completamente pessoais e verdadeiras, para ajudar vocês!

Faça suas reservas aqui pelo blog

Cada vez que você reserva algo por algum link aqui do blog, recebemos uma pequena comissão que nos ajuda continuar a atualizar o conteúdo. E você, leitor, não paga nada a mais por isso! Então reserva, vai? :)

Compartilhe

Se gostou das dicas,
receba gratuitamente por email!

Tags:  , , , , , , , , , ,
Alan Towersey

Servidor público e pai de 3 gatos. Costumava viajar sozinho desde os 15 anos pelo Brasil e pelo Mundo Afora desde os 18, mas agora tem sempre a esposa ao seu lado e mais de 50 países na bagagem! Motociclista e com interesse em mergulho, snow e trilhas, agora conta aqui pra vocês esse lado mais radical das viagens!

Deixe seu comentário

0 Comentários:

Conta aí o que você acha! :)