qui
27 abr
2017

Planejando a Primeira Viagem Internacional

Postado por Colunista Convidado - 4 Comentários

Oi gente, tudo bem? Invadi um pouquinho o “Guia Mundo Afora” para falar de um assunto que interessa a muitos de vocês: a primeira viagem internacional. Sempre falo no meu blog que viajar é uma das melhores coisas do mundo. E realmente é. Conhecer outras culturas, outros idiomas, outras pessoas, explorar lugares lindos, e enriquecer a alma. Mas isso todo mundo sabe.

Agora, se você nunca viajou pra fora por achar que é coisa de rico, vou te contar um segredo: não é mais assim faz teeeeeempo!!!! E eu, tão boazinha que sou, vou ajudar você a realizar esse sonho da primeira viagem internacional num piscar de olhos! Pode acreditar!

 

Avião em uma primeira viagem internacional

 

O destino

Engana-se quem pensa que viajar pra fora se resume a ir para Disney. Claaaaaro que a Disney é MARAVILHOSA, um sonho mesmo!!! Mas existem várias outras opções econômicas, de lugares maravilhosos pra você conhecer em sua primeira viagem internacional.

Recentemente fui ao Uruguai, um país lindo, com uma cultura maravilhosa, e não gastei mais do que eu gastaria para viajar aqui por perto mesmo.

Uma opção é a nossa outra vizinha Buenos Aires. Aliás, a Argentina como um todo é maravilhosa. Tem a Patagônia, tem Ushuaia, Mendoza… outro vizinho lindo é o Chile (e suas vinícolas…hmmmm)….

Ah! E o caribe então, com toda aquela beleza que parece ser de mentira? Sem esquecer, é claro, dos EUA e toda a estrutura, preços baixos, atrações, e até mesmo a cultura americana (eu adoro)!

E a Europa também, por que não? Talvez até um pouco mais cara que outros destinos, mas a questão aqui é saber que se programar, dá SIM!!

 

 

Hospedagem

Esse é um item delicado. O importante, então, é que você defina quais as suas prioridades. Localização, estrutura, banheiro no quarto, espaço para cozinhar, número de estrelas (de 3 já é super honesto).

Depois pesquise bastante. Tem vários sites por aí que podem ajudar você a achar a melhor oferta para sua primeira viagem internacional. Ultimamente eu ando pesquisando bastante no Trivago. Ele te dá a cotação de vários outros sites. Aliás, é muito bom comparar! As vezes a diferença é bem grande, viu? O legal também é que se você reservar/pagar aqui no Brasil, você se livra do IOF do cartão de crédito.

 

Procure escolher um hotel bem localizado. Isso não significa que deverá estar em um bairro chique, mas se estiver perto do metrô ou de pontos de ônibus com fluxo de várias linhas, já ajuda bastante. Tanto no tempo gasto de locomoção, quanto a economizar em táxi, por exemplo.

 

Ah, mais uma coisinha: pode ficar um pouquinho mais caro (bem pouquinho mesmo), mas reservas com cancelamento grátis são mais vantajosas, caso você tenha algum imprevisto e precise remarcar a viagem. Ou caso encontre uma oferta melhor.

Por fim, uma boa opção é o Airbnb. Nele você encontra casas, apartamentos e quartos em milhares de cidades pelo mundo, todos por um preço bem mais barato do que em hotéis. Só fique atenta às condições de uso, avaliações de outros hóspedes, FOTOS, e política de cancelamento.

 

 

Programando os Gastos com Alimentação

Se você conseguir um hotel com café da manhã incluso, isso já ajuda bastante. Procure caprichar nesta refeição, e depois compre lanches, frutas, saladinhas, ou outras coisas que você gostar no mercadinho perto do hotel (sempre tem).

 

Lembrando que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados no blog, ganhamos uma pequena comissão, E VOCÊ NÃO PAGA MAIS POR ISSO, mas super me ajuda a continuar postando conteúdo GRÁTIS!

 

Claro que você pode (E DEVE!) fazer algumas refeições em restaurantes locais em seu primeira viagem internacional! Afinal, isso também faz parte da viagem, né? Mas dá pra revezar bem! Ah! Não esqueça de andar com uma garrafa de água. Muitas cidades possuem água potável na torneira.

E McDonalds, pode? Lógico que pode! É rápido, prático e barato. Mas não vai comer todo dia, né? Além de acabar com seu estômago, você vai ficar entalada, e ainda vai perder a chance de experimentar a gastronomia local.

 

Mas e o dólar?

Olha, realmente o fato de o dólar, o euro e a libra valerem muito mais do que o real dá uma assustada mesmo. Mas existem mil formas de se economizar nos gastos durante a viagem. E antes também, né?

Quando for trocar suas economias pela moeda local, prefira levar a maior parte em espécie, por conta do IOF bem mais barato. Pesquise bem as cotações em vários bancos/casas de câmbio. As diferenças de taxa e vantagens podem ser decisivas na hora de você economizar.

NUNCA compre de pessoas desconhecidas. Já ouvi muita história de gente que comprou notas falsas, e quando chegou lá no destino quase foi presa por estelionato. PENSE NO DRAMA!

 

Um site que eu gosto bastante é o Melhor Câmbio. Ele consulta e compara as cotações de diversas casas de câmbio ao redor do país. Dá até pra fazer as transações online com links para as casas de câmbio no próprio site.

Os cartões de crédito são mais práticos e seguros do que andar com dinheiro vivo, mas devem ser usados com cuidado. O câmbio utilizado será o da data do fechamento da fatura. Você pode se dar mal nessa, se o dólar subir bem nesse dia. Além disso, tem o tal do IOF de 6,38%.

Eu sempre levo, mas procuro usar apenas para emergência. Outra opção são os cartões pré-pagos, que apesar de também terem o IOF de 6,38%, você não corre o risco da alta do dólar (ou outra moeda), pois você já compra a moeda antes.

 

 

Quanto levar?

Essa é a pergunta mais difícil. Tudo depende de qual o destino da sua viagem primeira viagem internacional, o que já está incluído na diária do seu hotel, se o lugar tem preços atrativos para compras, se são muitos passeios pagos… enfim, muitas variáveis.

A primeira coisa que você deve fazer é listar todos os lugares que você quer visitar, e os preços de cada um. Planilhe. Coloque os passeios, as refeições, o transporte… Sou meio obcecada com planilhas, mas acredite em mim: é a melhor maneira de saber exatamente o que você vai gastar. Ou pelo menos ter uma noção maior.

Claro que haverão alguns gastos que você não tem como prever, mas com essa planilha você vai saber direitinho quanto de dinheiro vai precisar. Após isso você vai definir dentre as opções abaixo, qual se encaixa melhor na sua preferência.

 

Como Conseguir Economizar para Viajar?

Agora o assunto ficou sério mesmo. Sério, diga-se de passagem, não significa impossível. Requer dedicação, eu sei! Mas cada centavo que você guardar vai te recompensar muito quando você estiver no seu destino dos sonhos! Juro!!!! Abaixo separei algumas diquinhas simples, que vão te ajudar a economizar com coisas pequenas no dia a dia.

1. Faça em casa: sei que todo mundo adora sair pra se divertir. Mas se ao invés disso, você fizesse hoje um programinha em casa? Pedir uma pizza (ou de repente até cozinhar um prato diferente), fazer pipoca, e assistir algum filme ou seriado novos no Netflix. Hoje em dia (aqui em São Paulo está absurdo), um casal que sai pra comer e depois vai no cinema não gasta menos do que R$ 150,00. Isso porque eu estou falando de um lanchinho básico. Nada de restaurantes caros. Se a gente considerar uns R$ 50,00 da pizza e pipoca, você já economizou R$ 100,00 só em um dia. Imagina fazendo algumas troquinhas dessa por ano.

2. Troque sua manicure semanal por uma de quinze em quinze dias: pode parecer pouco, mas isso dá uma média de 50 a 60 reais por mês. Em um ano, você economiza mais de R$ 600,00 só com essa ação.

3. Faça um cofrinho: não, não é coisa de criança. É aliás super divertido você ver as moedinhas enchendo o cofrinho e lembrar que elas são para você passear em uma viagem que você sempre quis fazer!

 

 

4. Leve marmita: hoje em dia está na moda levar marmitinhas saudáveis no trabalho. Todas as blogueiras fitness e  atrizes fazem. A vantagem é que você faz dieta, come direito, e ainda economiza. Aqui perto de onde eu trabalho é impossível gastar menos de R$ 15,00 pra comer. Isso considerando que você vai colocar no seu prato praticamente salada.

5. Use uma planilha de gastos! Lá no meu blog, eu fiz uma bem simplesinha, mas que dá uma super mão. Se interessar, acesse aqui. Depois é só incluir uma linha para viagens e separar um valorzinho por mês para diluir os seus gastos ao longo do ano!

É isso pessoal. Não é nenhum bicho de sete cabeças. Minha última dica é: pesquise, pesquise, pesquise, pesquise…. de preferência com antecedência. Desse jeito você economiza, evita sustos e gastos inesperados de última hora. Tenho certeza de que a primeira viagem internacional dos seus sonhos está mais perto do que você imagina!!! Se quiser mais dicas de como economizar em viagens, e em todos os outros assuntos do seu cotidiano, me segue lá no meu blog: Doceconomia! Vou amar! Beijinhos.

Faça suas reservas aqui pelo blog

Cada vez que você reserva algo por algum link aqui do blog, recebemos uma pequena comissão que nos ajuda continuar a atualizar o conteúdo. E você, leitor, não paga nada a mais por isso! Então reserva, vai? :)

Compartilhe

Se gostou das dicas,
receba gratuitamente por email!

Tags:  , , , , ,
Colunista Convidado
Deixe seu comentário

4 Comentários:

  1. Gustavo Cardoso29/04/2017

    Ah sim, entendi. Mas essa taxa é aquela que podemos pedir reembolso?

    Responder
    • Thaís Towersey30/04/2017

      Não Gustavo, essa é a taxa que você paga por estar fazendo câmbio entre moedas. Não tem reembolso,infelizmente!

      Bj

      Responder
  2. Doceconomia28/04/2017

    Gustavo,

    Que bom que você gostou!!!! O IOF é cobrado tanto sobre cartões (6,38%), quanto sobre dinheiro (1,1%).

    Responder
  3. Gustavo Cardoso28/04/2017

    Gostei demais do post!! Vou usar essas dicas pra minha primeira viagem internacional, que nao sei quando vai ser, mas tomara que esteja perto 🙂
    Eu so nao entendi bem o IOF. Ele tambem e cobrado sobre dinheiro em especie ou so nos cartoes?
    *Esta tudo sem acento por causa desse meu notebook 🙁

    Responder

Conta aí o que você acha! :)